tragedia-predio-desabamento-rio-de-janeiro-20120126-20120126-92-size-598

A importância da Inspeção Predial

Postado em

Acidentes de grande magnitude ganharam destaque na mídia nos últimos tempos. O desabamento de três prédios no Rio de Janeiro e outro em São Bernardo do Campo (SP) alertam a população sobre a necessidade de se realizar um trabalho técnico periódico de acompanhamento/inspeção das edificações. Queda de marquises, desabamento de telhados, incêndios causados por danos elétricos são alguns exemplos dos prejuízos que a falta de manutenção periódica pode causar.

É comum, ainda que incompreensível, que proprietários de imóveis, usuários e gestores prediais negligenciam, ou até mesmo ignoram, atividades preventivas, corretivas e outras que, por definição, deveriam alavancar um melhor desempenho nos sistemas e elementos construtivos.

É de conhecimento técnico que os sistemas e elementos construtivos necessitam de atividades de manutenção ao longo de sua vida útil, para garantir níveis aceitáveis de desempenho e segurança, originalmente previstos em projeto para atendimento às exigências dos usuários dessas edificações.

Um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de São Paulo (IBAPE/SP) revelou que 66% das possíveis causas e origens dos acidentes são relacionadas à deficiência com relação a manutenção, perda precoce de desempenho e deterioração acentuada das edificações.

Os dados apresentados remetem a uma conclusão: é necessário implementar um sistema de manutenção predial e realizar avaliações periódicas das condições técnicas, de uso e manutenção dos edifícios.

Para tal procedimento, dá-se o nome de INSPEÇÃO PREDIAL, cuja atividade possui norma e método próprio e norteará o proprietário/usuário/gestor da propriedade que providencie a manutenção nos pontos críticos apontados em laudo específico.

Com a inspeção predial em dia, o síndico do prédio recebe o laudo com todos os detalhes dos problemas encontrados e os orientações preliminares para futuros reparos necessários, conforme o grau de risco ou criticidade indicada para cada deficiência.

 

SÍNDICO, FIQUE ALERTA:

Em casos de negligência na manutenção, que gerem acidentes ou danos à estrutura do prédio, VOCÊ pode ser responsabilizado!

As responsabilidades do síndico estão estabelecidas em lei (art. 22 da Lei 4.591/64 e art. 1.348 do Código Civil) e em normas regulamentares (convenções de condomínio e regimentos internos). Cabe ao síndico administrar o condomínio por delegação da assembleia de condôminos, assumindo os cargos correspondentes, que incluem a preservação e manutenção do patrimônio coletivo.

NÃO CORRA RISCOSContrate uma empresa especializada para realizar um Laudo de Inspeção Predial e avaliar as condições do seu imóvel. Ele ajudará na tomada de decisão, estabelecendo prioridades e graus de risco para todos os sistemas da edificação. Dessa forma, você garante uma manutenção mais eficiente e com menor custo. Durma tranquilo! 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado